Geral
30.09.2012

Campanhas são fundamentais para detecção precoce do câncer bucal no país

O Brasil é um dos países com maior incidência de doença no mundo, sendo este o sexto tipo de tumor mais prevalente na população

Foto: Antoninho Perri/Unicamp
Cirurgião dentista José Ribamar Sabino.
Cirurgião dentista José Ribamar Sabino.

Estudo da Unicamp revelou que as campanhas para detecção precoce de câncer bucal são fundamentais para prevenção do mal, responsável por elevados índices de morbidade e mortalidade no país. Estimativas apontam que o Brasil é um dos países com maior incidência de câncer bucal no mundo, sendo este o sexto tipo de tumor mais prevalente no país. Segundo o autor da pesquisa, o cirurgião-dentista José Ribamar Sabino, apesar dos avanços científicos, não houve melhora na sobrevida destes pacientes. " A não realização do diagnóstico em estágios iniciais é o principal fator que limita o tratamento e consequentemente o prognóstico" , destaca.

Sabino comparou a campanha realizada pelo Ministério da Saúde, denominada Campanha de Prevenção e Detecção Precoce do Câncer Bucal desenvolvida em conjunto com a Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe com um programa desenvolvido pela FOP intitulado Busca Ativa de Lesões Bucais, Lesões Malignas e Potencialmente Malignas da Cavidade Bucal. Ainda que o programa da FOP tenha sido mais eficiente na detecção do câncer bucal, as duas campanhas mostraram resultados importantes para o diagnóstico de inúmeras lesões benignas, sendo que ambas contribuíram para a promoção da saúde bucal na região.

O pesquisador avaliou os prontuários de um período de dez anos (2001-2010) dos pacientes que foram encaminhados ao Orocentro da FOP, um serviço especializado em diagnóstico e tratamento de lesões bucais. Os pacientes apresentavam lesões detectadas nas campanhas de prevenção e detecção do câncer bucal do Ministério da Saúde, realizadas em Piracicaba e cidades da região. Os prontuários dos pacientes atendidos por meio do projeto desenvolvido pela FOP num período de dois anos (2009-2011) também foram analisados.

O número de pacientes com confirmação do diagnóstico de lesões malignas foi maior na campanha Busca Ativa, na qual os pacientes com maior risco de desenvolver câncer bucal foram recrutados para exame. " Mas é importante frisar que as duas estratégias foram capazes de diagnosticar inúmeras outras lesões, principalmente, as lesões traumáticas relacionadas ao uso de próteses" , revela.

Incidência

José Sabino lembra que o câncer bucal ocorre mais frequentemente em homens, principalmente com mais de 40 anos de idade. O fumo, combinado com o excesso de bebida alcoólica, são os principais fatores de risco. Afeta mais comumente língua e assoalho bucal. Câncer de lábio inferior é considerado separadamente e exposição solar é a causa principal. Neste sentido, a Organização Mundial de Saúde reconhece que a prevenção e detecção precoce são os principais objetivos para melhorar o controle do câncer bucal. Assim, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado são a chave para reduzir a mortalidade pela doença.

Fonte: Isaude.net