Geral
27.09.2012

Estudo identifica sintomas que indicam maior risco de recaída no uso da maconha

Trabalho pode ajudar na busca por novas estratégias para as pessoas que querem deixar de fumar e sofrem com a abstinência

Foto: JANIFEST/Stock Photo
Alguns sinais físicos estão mais ligados à volta ao uso de maconha
Alguns sinais físicos estão mais ligados à volta ao uso de maconha

Pesquisadores da Austrália identificaram alguns sintomas físicos apresentados por viciados em maconha durante o período de abstinência que indicam maior risco de recaída.

Os resultados sugerem que pessoas com sinais como tensão, ansiedade, depressão, alterações de humor, perda de apetite e problemas no sono são mais propensas a voltar a fumar após ficar um tempo sem usar a droga.

A equipe da University of New South Wales avaliou 49 usuários de maconha durante um período de abstinência. O objetivo era quantificar o prejuízo causado pela retirada da cannabis sobre as atividades diárias normais.

O líder da pesquisa David J. Allsop e seus colegas acompanharam os pacientes após duas semanas de interrupção no uso da droga.

Eles descobriram que aqueles voluntários que apresentaram um maior comprometimento funcional decorrente da abstinência acabaram fumando mais maconha no mês seguinte ao período longe da droga.

A pesquisa mostrou ainda que aqueles que apresentaram manifestações físicas, como ondas de calor, fadiga e suor noturno, não foram tão propensos a sofrer recaídas.

Os cientistas acreditam que o trabalho possa ajudar na busca por novas estratégias de tratamento para as pessoas que querem deixar de fumar maconha e sofrem com os sintomas da abstinência.

A pesquisa foi publicada na revista Plos One.

Fonte: Isaude.net