Saúde Pública
11.09.2012

Vacina atenuada é primeira a mostrar eficácia parcial contra a dengue

Fórmula testada em 4 mil crianças na Tailândia é segura e pode ser aplicada contra doença causada pelos vírus tipo 1, 3 e 4

Foto: Sanofi Pasteur
Menina participa do estudo clínico da vacina contra dengue, realizado em Ratchaburi, Tailândia
Menina participa do estudo clínico da vacina contra dengue, realizado em Ratchaburi, Tailândia

Estudos clínicos realizados pela empresa francesa Sanofi Pasteur mostraram, pela primeira vez, que é possível desenvolver uma vacina segura e eficaz contra a dengue.

A vacina, testada em crianças na Tailândia, mostrou eficácia contra a doença causada pelos vírus tipo 1, 3 e 4, mas não foi capaz de impedir a transmissão pelo vírus tipo 2.

"A complexidade da dengue tem dificultado a pesquisa de vacinas por décadas. Esta é a primeira vez em 50 anos de pesquisa sobre dengue que vemos uma vacina que protege um grande grupo de crianças da doença clínica causada pelo vírus. Melhor ainda, a vacina atendeu às expectativas mais elevadas de segurança. Estes resultados devem ser uma fonte de esperança para milhões de pais cujos filhos estão em risco de dengue grave, uma doença com risco de vida que muitas vezes requer hospitalização", afirma Scott Halstead, do International Vaccine Institute, Seoul, Coréia.

O estudo, publicado na revista The Lancet, foi realizado em 4.002 crianças de 4 a 11 anos, em parceria com a Universidade Mahidol, no distrito de Muang na província de Ratchaburi.

A vacina experimental contra a dengue é uma vacina viva atenuada e é fornecida no esquema de 3 doses administradas a cada 6 meses (0, 6 e 12 meses).

A análise completa da eficácia da vacina contra cada sorotipo, refletindo condições da vida real, mostrou que a eficácia da vacina é de 61,2% contra o vírus dengue tipo 1; 81,9%, contra o tipo 3 e 90% contra o tipo 4. Um dos tipos de vírus da dengue (o serotipo 2) evitou a vacina.

"A dengue é uma preocupação de saúde pública para mais da metade da população do mundo e é uma das principais causas de hospitalização e morte entre crianças de países endêmicos. Como o controle do mosquito não consegue controlar a doença, uma vacina eficaz será uma ferramenta crítica que pode mudar a vida de milhões de pessoas que vivem em países de risco. Eu vejo este sucesso como o início de uma nova era de controle eficaz", afirma o pesquisador Duane Gubler.

Segundo os pesquisadores, estes resultados da vacina contra a dengue trazem promessa significativa no contexto da expansão da doença no mundo inteiro e da ausência de tratamento específico. O trabalho vai continuar a estudar esta vacina e a circulação de vírus da dengue no mundo, mas, entretanto, a comunidade de saúde pública pode agora formular políticas de imunização melhores e se preparar para a implementação de campanhas de vacinação em países fortemente afetados pela doença.

Estudos clínicos de grande escala de fase III com 31 mil crianças e adolescentes estão em curso na América Latina (México, Colômbia, Honduras, Porto Rico e Brasil). Os produtores da vacina agora esperam os resultados destas pesquisas para saber se a vacina poderá ser aprovada. Esses estudos devem ser concluídos em 2014.

Sobre a dengue

A dengue é uma doença transmitida por mosquitos causada por quatro sorotipos do vírus da dengue (1 a 4). É uma ameaça para cerca de 3 bilhões de pessoas e uma prioridade de saúde em muitos países da América Latina e da Ásia, onde ocorrem epidemias. Não há tratamento específico para esta doença, que está se expandindo geograficamente.

Dos cerca de 220 milhões de pessoas infectadas anualmente, dois milhões de crianças em sua maioria, desenvolvem febre hemorrágica, uma forma grave da dengue hemorrágica, que é a principal causa de hospitalização.

A Organização Mundial de Saúde estabeleceu o objetivo de reduzir a morbidade da dengue em pelo menos 25% e a mortalidade da doença em 50% até 2020.

Clique aqui para informações adicionais sobre a vacina experimental contra a dengue.

Fonte: Isaude.net