Geral
27.08.2012

Seres humanos podem aprender novas informações durante o sono

Pesquisa sugere que aprendizado noturno altera o comportamento das pessoas quando elas estão acordadas

Foto: Vitaly Valua/Foto Stock
Cérebro processa e reage a novas informações durante o sono, revela pesquisa
Cérebro processa e reage a novas informações durante o sono, revela pesquisa

Cientistas do Weizmann Institute, em Israel, descobriram que as pessoas podem aprender novas informações enquanto dormem.

A pesquisa sugere que o cérebro processa e reage a determinadas informações e que esse aprendizado altera o comportamento das pessoas quando elas estão acordadas.

Noam Sobel e seus colegas realizaram um tipo de condicionamento que envolve a exposição das pessoas a um sinal seguido de um cheiro, de modo a testar se os participantes iriam exibir uma resposta similar à do sinal como fariam com o odor.

Os pesquisadores descobriram que, no caso de cheirar, o cérebro adormecido funciona como se estivesse acordado. Nós inalamos profundamente quando sentimos um aroma agradável, mas paramos nossa inalação quando notamos um mau cheiro. Essa variação de inalação pode ser gravada com os indivíduos dormindo ou acordado.

Segundo os pesquisadores, este tipo de acondicionamento, embora pareça ser bastante simples, está associado a algumas áreas superiores do cérebro, incluindo o hipocampo, que está envolvido na formação da memória.

Nos experimentos, os voluntários dormiram em um laboratório especial, enquanto o seu estado de sono foi monitorado continuamente. Enquanto dormiam, um sinal era emitido, seguido de um odor, agradável ou desagradável. Em seguida, outro sinal era executado, seguido por um cheiro na extremidade oposta da escala de agradabilidade. Durante a noite, os sinais foram emitidos sozinhos, sem o odor, a fim de reforçar a associação.

No dia seguinte, os participantes, agora acordados, ouviram novamente os sinais sozinhos, sem odor que o acompanha. Embora eles não apresentassem lembrança consciente de ouvi-los durante a noite, seus padrões de respiração mostraram o contrário.

Quando exposto a sons que tinham sido emparelhados com odores agradáveis, eles inalaram profundamente, enquanto os sinais associados com os maus cheiros provocaram inalação curta.

A equipe agora pretende continuar investigando o processamento do cérebro em estados alterados de consciência, como o sono e coma. "Agora que sabemos que algum tipo de aprendizagem durante o sono é possível, queremos encontrar os limites do cérebro, as informações que podem ser aprendidas durante o sono e as informações que não podem", concluem os autores.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net