Geral
23.08.2012

Teste que rastreia movimento dos olhos permite diagnóstico precoce do Alzheimer

Pesquisa revela que pessoas com a doença neurológica têm dificuldade em acompanhar certos movimentos de um ponto de luz

Foto: Lancaster University
Equipamento usado na experiência de rastreamento dos olhos
Equipamento usado na experiência de rastreamento dos olhos

Cientistas da Universidade de Lancaster, no Reino Unido, desenvolveram um teste simples de rastreamento dos olhos que possibilita o diagnóstico precoce do Alzheimer.

A pesquisa revela que as pessoas com a doença neurológica têm dificuldade em um determinado tipo de teste de rastreamento do olhar.

A equipe, liderada por Trevor Crawford, avaliou 18 pacientes com doença de Alzheimer, 25 pacientes com doença de Parkinson, 17 jovens saudáveis e 18 idosos saudáveis foram convidados a acompanhar os movimentos de um ponto de luz em um monitor de computador. Em alguns casos, eles foram instruídos a olhar para o sentido oposto, afastando-se da luz.

Segundo os pesquisadores, medidas detalhadas do rastreamento ocular dos grupos mostraram contrastes nos resultados entre s participantes doentes e aqueles saudáveis.

Pacientes com Alzheimer cometeram mais erros quando tinham que olhar para longe da luz e não puderam corrigir esses erros, apesar de responderem de forma normal quando tinham que acompanhar o movimento da luz.

Os resultados mostraram que esses erros não corrigidos foram 10 vezes mais frequentes em pacientes com Alzheimer em comparação com os grupos controle.

"O diagnóstico da doença de Alzheimer é atualmente muito dependente dos resultados de uma série de testes neuropsicológicos extensos. No entanto, pacientes com demência muitas vezes têm dificuldade em completar esses testes, devido a uma falta de compreensão clara", afirma Crawford.

Ao longo dos últimos dez anos, pesquisadores têm tentado desenvolver uma abordagem alternativa baseada no controle dos olhos pelo cérebro para investigar habilidades cognitivas, tais como a inibição de atenção, cognição e memória.

"Agora encontramos fortes evidências de que a dificuldade em perceber e corrigir os erros provavelmente foi causada por um problema nas redes de memória do cérebro que nos permite armazenar a posição espacial dos objetos no ambiente. O teste de rastreamento de luz pode desempenhar um papel vital no diagnóstico precoce da doença", conclui o pesquisador.

Fonte: Isaude.net