Geral
18.08.2012

Maternidade de SE evita desperdício com materiais e medicamentos fracionados

Uma das alternativas adotadas foi a montagem de kits de procedimentos, onde são armazenados todos os itens necessários

Foto: Ascom/SES
Farmácia da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL)
Farmácia da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL)

Evitar o desperdício com a implantação de métodos simples capazes de padronizar o serviço. Este tem sido o principal objetivo da farmácia da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), em Aracaju (SE), durante a distribuição de materiais e dispensação de medicamentos para os pacientes.

Uma das alternativas encontradas pela unidade foi a montagem de kits de procedimentos, onde são armazenados todos os itens necessários para a realização de curetagens, partos ou cirurgias em recém-nascidos. Obedecendo ao fluxo da procedência ao destino, dentro do recipientes plásticos, os pacotes estéreis são encaminhados para as áreas solicitadas.

" Quando mandamos esse kit para o centro cirúrgico, por exemplo, toda a equipe que recebe já está ciente de que, aquilo que não for aberto, será reutilizado da próxima vez. Com isso, temos um controle preciso e uma maior conscientização sobre os gastos," informou a gerente da farmácia Tânia Calomeno.

Outra medida adotada pela instituição de saúde é o uso racional de medicamentos. Diariamente, as cápsulas são desmembradas de suas cartelas cuja entrega será feita para as Alas mediante quantidade exata para sua utilização. Além do fracionamento dos comprimidos, a farmácia adotou a dose individualizada, que controla o uso dos antimicrobianos nos bebês, gestantes e parturientes.

" Nossa cartela plástica é montada de acordo com a prescrição médica. Se o paciente vai tomar o antibiótico a cada seis horas, mandamos para a enfermagem, as quatro ampolas etiquetadas para serem consumidas no período de 24 horas, como preconiza o Ministério da Saúde," explicou a farmacêutica Juliana Rabelo.

" Somos uma unidade de referência em alta complexidade. Desde o setor de urgência na porta de entrada até a UTIn, onde ficam os bebês mais graves, é oferecido todo o tratamento, seja ele de baixo, médio ou de alto custo. Com isso, estamos salvando vidas," concluiu a superintendente Carline Rabelo.

Fonte: Isaude.net