Profissão Saúde
17.08.2012

São Paulo recebe o I Workshop de Comorbidades e Eventos Adversos do HIV

Ideia é fazer com que especialistas dividam seus conhecimentos e discutam maneiras para melhorar a assistência aos pacientes

Foto: Divulgação
Banner do I Workshop de Comorbidades e Eventos Adversos
Banner do I Workshop de Comorbidades e Eventos Adversos

Nesta sexta-feira e sábado (17 e 18) mais de 100 médicos que atendem portadores do HIV e AIDS se reúnem em São Paulo por ocasião do I Workshop de Comorbidades e Eventos Adversos. O objetivo, segundo a coordenadora do evento, Gisele Cristina Gosuen, é " fazer com que vários especialistas dividam seus conhecimentos específicos e, reunidos, discutam maneiras para melhorar a assistência aos pacientes soropositivos e, consequentemente, a qualidade de vida deles" .

O primeiro dia de discussões, segundo a coordenadora, foi dedicado ao campo teórico. Amanhã, serão apresentados estudos de casos clínicos.

As comorbidades e eventos adversos escolhidos para serem abordados no encontro são: senilidade, envelhecimento com HIV, alterações neurocognitivas, hepatites virais, tuberculose, riscos cardiometabólicos, lipodistrofia, doenças renais, alterações ósseas e neoplasias.

Gisele, que atende no ambulatório do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, explica que estes problemas podem ocorrer em decorrência do uso prolongado dos medicamentos antirretrovirais, pela própria manifestação do vírus no organismo, além das pré-disposições genéticas dos pacientes.

Ao longo dos 30 anos do conhecimento da aids no mundo, os desafios dos médicos ao atenderem pacientes com HIV foram mudando. No início, eles tiveram que lidar com a morte rápida destes pacientes. Hoje, com o advento do coquetel antirretroviral, o desafio é cuidar das doenças relacionadas à vida com HIV e aids e dos efeitos adversos decorrentes do uso prolongado de medicamentos.

Fonte: Isaude.net