Profissão Saúde
15.08.2012

"Papel do gestor não é distribuir medicamento, mas cuidar da saúde da população"

Secretário de Ciência e Tecnologia do MS, Carlos Gadelha, defende uso racional de remédios em Congresso

"O estimulo ao uso racional evidencia que o papel do gestor não é distribuir medicamentos, mas sim cuidar da saúde da população". Foi com essa fala que o Secretário de Ciência e Tecnologia (SCTIE) do Ministério da Saúde (MS), Carlos Gadelha, alertou profissionais e estudantes de saúde no IV Congresso Brasileiro sobre Uso Racional de Medicamentos, nesta quarta-feira (15), em Salvador (BA).

O evento foi realizado pelo Departamento de Assistência Farmacêutica da SCTIE em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e teve o objetivo de destacar a relevância positiva da prática à saúde da população, além de promover discussões, divulgar experiências e iniciativas e capacitar os participantes. " O uso racional de medicamentos é a contrapartida de uma política para garantir o acesso universal aos produtos da saúde" , disse Gadelha.

Além disso, 16 iniciativas desenvolvidas por profissionais e pesquisadores da saúde, voltadas à promoção do uso racional de medicamentos, foram premiadas.

Entre os instrumentos desenvolvidos nos últimos anos para estruturar e qualificar a assistência farmacêutica no país, estão a realização de cursos e capacitação de profissionais em gestão e atenção básica na saúde, criação de protocolos clínicos, além do Programa Nacional de Qualificação da Assistência Farmacêutica (Qualifar-SUS) e do Sistema Hórus, que auxiliam no monitoramento do consumo de medicamentos pela população. " O medicamento não deve ser visto como um fim, mas como um meio, parte do processo do cuidado, envolvendo a promoção, a prevenção e a atenção a saúde" , conclui Gadelha.

Fonte: Isaude.net