Ciência e Tecnologia
15.08.2012

Dispositivo auxilia locomoção de crianças com deficiência motora

Equipamento estimula crianças com deficiência nas pernas e pode treiná-las para o uso de cadeiras de rodas elétricas no futuro

Reprodução: Polytechnic University
Dispositivo ajuda crianças com deficiência no processo de locomoção
Dispositivo ajuda crianças com deficiência no processo de locomoção

Cientistas da Tokyo Polytechnic University, no Japão, desenvolveram um dispositivo capaz de permitir que crianças com deficiência motora se movam de forma independente.

O equipamento, que recebeu o nome de Tapete Mágico, atua como um estímulo para as crianças com deficiência nas pernas e pode treiná-las para a vida futura.

"Este dispositivo oferece às crianças pré-escolares com deficiência nas pernas a oportunidade de se mover. Uma vez que se interessam em se mexer, elas aprendem a operar o dispositivo e a se movimentar sozinhas. A abordagem oferece uma oportunidade prática, por isso, quando atingem a idade escolar elas podem, então, fazer uma transição suave para uma cadeira de rodas elétrica", afirma o pesquisador Syokugyo Dai.

O Tapete Mágico pode carregar uma carga máxima de 90 kg, por isso também pode levar um pai ou uma cadeira em cima. Ele pode ser operado em uma variedade de posições diferentes, incluindo com a pessoa deitada.

Primeiro, as crianças são ensinadas por um terapeuta ocupacional ou fisioterapeuta a operar o dispositivo. "No processo, elas aprendem a parar na frente de obstáculos ou evitá-los, de modo que o dispositivo irá ajudá-los a se mover em torno de si no futuro, usando uma cadeira de rodas elétrica", observa Dai.

O dispositivo, que contém rodas de cada lado pode ir para frente e para trás, esquerda e direita, ou fazer um giro de 360 º sobre o mesmo local. Os usuários podem escolher entre várias opções diferentes de controle, incluindo um joystick. O dispositivo tem cinco velocidades e funciona por até 4 km com uma única carga.

Diginfonews
Dispositivo ajuda crianças deficientes a se moverem sozinhas

Fonte: Isaude.net