Geral
13.08.2012

Nova classe de compostos químicos impede infecções em dispositivos médicos

Polímeros aplicados à superfície de cateteres repelem bactérias como E. coli e S. aureus antes de se tornarem resistentes

Foto: University of Nottingham
Professor Morgan Alexander durante experimentos em laboratório
Professor Morgan Alexander durante experimentos em laboratório

Cientistas da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, descobriram uma nova classe de compostos químicos (polímeros) que são resistentes a vários tipos de bactérias.

Os novos materiais podem levar a uma redução significativa nos casos de infecções hospitalares e falhas de dispositivos médicos causadas por bactérias como Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus e Escherichia coli.

Para causar infecções resistentes em dispositivos médicos como cateteres, as bactérias formam comunidades conhecidas como biofilmes. Este escudo as protege contra as defesas naturais e antibióticas dos organismos.

Agora, o pesquisador Morgan Alexander e seus colegas descobriram que quando os novos materiais são aplicados à superfície de dispositivos médicos, eles repelem as bactérias e impedem que elas formem biofilmes.

A descoberta foi feita com a ajuda de cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), que desenvolveu um processo pelo qual milhares de polímeros únicos podem ser selecionados simultaneamente.

"Nós não poderíamos ter encontrado esses materiais usando as técnicas atuais de pesquisa sobre as interações entre bactérias e superfícies. A tecnologia do MIT torna possível rastrear centenas de materiais simultaneamente", explica Alexander.

Estes novos materiais combatem infecções impedindo a formação de biofilmes na fase mais inicial, quando as bactérias tentam se unir aos dispositivos.

Testes de laboratório mostraram que os polímeros podem reduzir o número de bactérias em até 96,7% em comparação com matérias disponíveis nos dias de hoje. A pesquisa também revela que os materiais impediram a fixação bacteriana no próprio sistema imunológico do corpo, matando as bactérias antes que elas tenham tempo para gerar biofilmes.

A próxima etapa da pesquisa será desenvolver revestimentos feitos com estes materiais a fim de permitir que eles sejam avaliados clinicamente.

NottmUniversity
Equipe descobre novos materiais resistentes a bactérias

Fonte: Isaude.net