Geral
11.08.2012

FDA aprova droga para tratar doença que ameaça visão de diabéticos

Administrado via injeção mensal, medicamento deve ser usado junto com técnicas de controle de açúcar para prevenir edema macular

A Food and Drug Administration dos Estados Unidos (FDA) aprovou o medicamento Lucentis (ranibizumabe) para o tratamento do edema macular diabético (DME), doença ocular que ameaça a visão de pessoas com diabetes.

Por meio de uma injeção administrada uma vez por mês por um profissional de saúde, Lucentis se destina a ser usado junto com as técnicas de controle de açúcar no sangue.

DME é uma condição na qual há vazamentos de fluido na mácula, parte central da retina onde a visão ocorre. O fluido faz com que a mácula se dilate, levando a visão a ficar embaçada.

"Diabetes é uma questão de saúde pública em nosso país, e todos os pacientes com diabetes correm o risco de desenvolvimento de edema macular diabético. A aprovação de hoje representa um grande avanço para o tratamento de pessoas cuja visão é prejudicada por DME como uma complicação de sua doença", afirma Renata Albrecht, da FDA.

A segurança e a eficácia da droga para o tratamento de DME foram estabelecidas em dois estudos clínicos envolvendo 759 pacientes tratados e acompanhados por três anos. Os pacientes foram separados aleatoriamente para receber injeções mensais de Lucentis a 0,3 miligramas (mg) ou 0,5 mg, ou não receber injeções durante os primeiros 24 meses de estudos. Após 24 meses, todos os pacientes receberam Lucentis mensal quer a 0,3 mg ou 0,5 mg.

Os resultados mostraram que entre 34 e 45% dos pacientes tratados com Lucentis a 0,3 mg mensal ganharam pelo menos três linhas de visão em comparação com 12 a 18% daqueles que não receberam injeção. Nenhum benefício adicional foi observado com a dose mais elevada de Lucentis mensal de 0,5 mg.

Os efeitos colaterais mais comuns relatados em pacientes tratados com o medicamento incluem hemorragia da conjuntiva, tecido que reveste o interior das pálpebras e cobre a parte branca do olho, dor ocular, moscas volantes e aumento da pressão dentro do olho.

Lucentis já era aprovado para o tratamento de degeneração macular relacionada à idade (DMRI), condição na qual vasos sanguíneos crescem anormalmente e 'entornam' líquido na mácula.

Fonte: Isaude.net