Geral
10.08.2012

Terapia da fala reorganiza o cérebro e reduz sintomas da gagueira

Pesquisa fornece novas percepções sobre o papel de diferentes regiões do cérebro na condição que afeta 1% dos adultos

Foto: CBS Therapy
Paciente faz sessão da terapia que trabalha com leitura e repetição de palavras e atua em uma área do cérebro envolvida na expressão e produção de linguagem
Paciente faz sessão da terapia que trabalha com leitura e repetição de palavras e atua em uma área do cérebro envolvida na expressão e produção de linguagem

Apenas uma semana de terapia da fala é capaz de reorganizar o cérebro, ajudando a reduzir os sintomas da gagueira. É o que mostra estudo publicado na revista Neurology.

A pesquisa fornece novas percepções sobre o papel das diferentes regiões do cérebro na gagueira, que afeta cerca de 1% dos adultos, além de ser mais uma prova contundente de que as mudanças no cérebro podem ser induzidas voluntariamente.

Os voluntários do trabalho foram divididos em dois grupos, um formado por 28 pessoas que gaguejavam, e outro por 13 pessoas que não gaguejavam.

Uma parte das pessoas com gagueira recebeu uma semana de tratamento com terapia da fala com três sessões por dia. Os outros portadores de disfemia, assim como os controles, não receberam nenhuma terapia.

A terapia consistia em fazer com que os participantes repetissem palavras de duas sílabas que lhes eram ditas verbalmente e, em seguida, lessem as palavras que eram apresentadas visualmente. Não houve limite de tempo em nenhuma das duas tarefas.

Os resultados mostraram que as notas médias dos testes das pessoas gagas, assim como a porcentagem de sílabas gaguejadas, melhoraram entre aqueles que receberam a terapia.

Não houve mudança na pontuação para os voluntários gagos que não receberam terapia e nem para o grupo controle.

Durante os testes, os participantes passaram por exames de imagem cerebral para medir a espessura do córtex cerebral de no início e no final do estudo.

Os pesquisadores também mediram as interações entre as áreas do cérebro em repouso, a chamada conectividade funcional em estado de repouso.

Os voluntários que melhoraram da gagueira após a terapia apresentaram uma redução tanto da espessura quanto da força das interações em uma área do cérebro importante na expressão e produção de linguagem, chamada "pars opercularis".

"A pesquisa mostra que o cérebro pode ser reorganizado por meio de terapia, e que as mudanças no cerebelo são um resultado da compensação do cérebro para a gagueira", conclui o pesquisador Chunming Lu, da Beijing Normal University in China.

Fonte: Isaude.net