Geral
09.08.2012

Parto normal libera proteína que auxilia desenvolvimento cerebral de bebês

Estudo com ratos revela que expressão de UCP2 é prejudicada no cérebro de bebês nascidos por cesariana

Foto: Divulgação/Mosend
Parto normal desencadeia produção de proteína que melhora diferenciação de neurônios e circuitos neurais de recém-nascidos
Parto normal desencadeia produção de proteína que melhora diferenciação de neurônios e circuitos neurais de recém-nascidos

O nascimento por parto normal desencadeia a produção de uma proteína no cérebro de recém-nascidos que melhora o desenvolvimento e a função neural na idade adulta. É o que revela estudo realizado na Yale School of Medicine, nos Estados Unidos.

A pesquisa mostra ainda que a expressão dessa proteína é prejudicada no cérebro de bebês nascidos por meio de cesariana.

A equipe, liderada por Tamas Horvath estudou o efeito de partos normais e cirúrgicos sobre a proteína desacopladora mitocondrial 2 (UCP2) em camundongos.

UCP2 é importante para a o desenvolvimento adequado de neurônios e circuitos do hipocampo. Esta área do cérebro é responsável pela memória de curto e longo prazo. UCP2 está envolvida no metabolismo celular da matéria gorda, componente-chave do leite materno.

Os pesquisadores descobriram que o parto normal induziu a expressão de UCP2 nos neurônios localizados na região hipocampal do cérebro e que a proteína apareceu em menor quantidade no cérebro de camundongos nascidos por cesariana.

A equipe notou ainda que a inibição do gene UCP2 interferiu com a diferenciação de neurônios e circuitos do hipocampo, comprometendo comportamentos adultos relacionados às funções hipocampais.

"Estes resultados revelam um papel potencialmente crítico de UCP2 no desenvolvimento adequado de circuitos cerebrais e comportamentos relacionados. A crescente prevalência de cesarianas impulsionadas por conveniência ao invés de necessidade médica pode ter um efeito duradouro anteriormente desconhecido sobre desenvolvimento e o funcionamento do cérebro de seres humanos", conclui Horvath.

Fonte: Isaude.net