Geral
05.08.2012

Tratamento duplo com células-tronco reduz sintomas de distrofia muscular

Pesquisa desenvolvida pela USP usou método em células de pacientes com distrofia de Duchenne e em ratos

Pesquisadores do Centro de Estudos do Genoma Humano da USP estão esperançosos para desenvolver tratamento para a distrofia de Duchenne. Após empregarem injeções periódicas de células-tronco, combinadas com doses diárias de um fator de crescimento, eles conseguiram reduzir sintomas de distrofia muscular em células de pacientes e em ratos com a doença congênita.

A terapia em dose dupla usou células-tronco mesenquimais (obtidas do cordão umbilical de recém-nascidos) juntamente com doses do fator de crescimento semelhante à insulina 1 (IGF-1). Nos tecidos humanos, a terapia aumentou uma proteína essencial para a manutenção da integridade dos músculos. Nos roedores, o tratamento testado diminuiu a inflamação e a fibrose muscular, levando a uma melhora da condição clínica dos animais. Os resultados do trabalho foram publicados na versão on-line da revista científica Stem Cell Reviews and Reports.

A dobradinha não gerou novos músculos sadios, como, em princípio, era esperado. Mas parece ter criado condições mais favoráveis para a preservação da funcionalidade da musculatura já existente. Dessa forma, a abordagem poderia ser uma alternativa para evitar ou diminuir a degeneração causada por distrofias.

A terapia também apresentou outra vantagem. " As células-tronco mesenquimais têm propriedades imunossupressoras" , explica a coordenadora da equipe de estudo e do centro da USP, Mayana Zatz. " Com elas, reduzimos o risco de haver rejeição do material injetado" , completou.

com informações da Revista Fapesp

Fonte: Isaude.net