Geral
01.08.2012

Garoto que tinha queixo colado no peito passa por cirurgia inédita em Rondônia

Luiz Felipe Pereira, que foi submetido a implante de "pele artificial" e a múltiplas cirurgias, teve alta após cinco meses

Foto: SES/RO
Luiz Felipe Pereira, 13, de Costa Marques (RO), viveu oito anos com o queixo praticamente colado ao tórax após acidente com fogo
Luiz Felipe Pereira, 13, de Costa Marques (RO), viveu oito anos com o queixo praticamente colado ao tórax após acidente com fogo

O garoto Luiz Felipe Pereira, de 13 anos, da cidade de Costa Marques (RO), a 700 km de Porto Velho, recebeu alta do Hospital de Base da capital após ficar internado por cinco meses. Ele viveu oito anos com o queixo praticamente colado ao tórax devido a um acidente doméstico com fogo, e foi submetido a procedimento inédito no estado.

O garoto passou por cirurgias de implante dérmico (matriz dérmica de colágeno, material que substitui a pele humana, espécie de "pele artificial"), no pescoço e no peito, e mais três cirurgias reparadoras. Ele ainda terá que retornar para fazer pequenos procedimentos, mas agora já vislumbra uma vida normal.

"Me sinto bem, quero ir pra casa, brinquei de peteca com uns amiguinhos aqui no hospital. Quero fazer faculdade e estudar muito para ser piloto de avião", disse o menino.

De acordo com a médica cirurgiã plástica, Flávia Lenzi, responsável pela cirurgia, os oito anos em que esteve com restrição de movimento comprometeram parte do corpo, rosto, pescoço e desalinhou a coluna. "O garoto vai usar colete no pescoço por algum tempo, mas a recuperação foi surpreendente", afirma.

A mãe do garoto, Leonice Pereira Estevaneli, agradeceu. "À equipe a médica, os enfermeiros e técnicos, enfim todos que contribuíram para a recuperação de meu filho, minimizando nosso sofrimento", comemorou.

Segundo o diretor executivo do HB, Juan Carlos, foi uma cirurgia de alta complexidade e de alto custo, cerca de R$ 300 mil entre materiais e os cinco meses de internação, porém o benefício foi muito maior que qualquer custo financeiro.

Fonte: Isaude.net