Geral
23.07.2012

Centro especializado do DF registra 1700 crianças com intoxicação em 2012

Total é 33% maior que o registrado no mesmo período de 2011, quando 1.143 chamadas foram feitas para o serviço em Brasília

O Centro de Informações Toxicológicas (CIT), setor da Secretaria de Saúde do DF, em Brasília, responsável por fornecer informação e orientação sobre intoxicações e envenenamentos, recebeu, nos primeiros seis meses deste ano, cerca de 1.700 chamadas envolvendo menores de 14 anos. O total é 33% maior que o registrado no mesmo período de 2011, quando 1.143 ligações foram feitas para o setor.

Para a chefe do CIT, Sandra Márcia da Silva, que atribui esse crescimento à divulgação do serviço nos meios de comunicação, as crianças são as mais atingidas por intoxicações. Em todo ano passado o CIT realizou 4.698 atendimentos. Destes, 1.836 eram relacionados a casos de intoxicações em crianças menores de 14 anos, 46,6% do total de casos atendidos.

Com o objetivo de reduzir essas ocorrências, o Centro tem promovido neste ano palestras em escolas para crianças de 3 a 12 anos, juntamente com a Vigilância Sanitária. Nesses encontros são tratados temas como intoxicações no ambiente doméstico, alimentação saudável, higiene pessoal e medidas de prevenção das infecções respiratórias. " A prevenção feita por meio da educação é a medida mais eficaz para a redução desses problemas de saúde pública, cada vez mais crescentes" , destaca a chefe do CIT.

Quando a população entra em contato com o CIT, os técnicos do serviço fornecem orientação após a avaliação da circunstância, do agente tóxico, dos sinais e sintomas apresentados. A conduta a ser tomada pode ser uma simples descontaminação e observação realizada em casa, até o encaminhamento para a unidade de saúde mais próxima. Profissionais de saúde são orientados a, no atendimento à vítima de intoxicação, ligar para o CIT, para obterem orientações seguras e eficazes de acordo com cada caso.

Os telefones do CIT são 0800-644-6774 no DF e Entorno; e 0800-722-6001, em âmbito nacional, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Fonte: Isaude.net