Geral
11.07.2012

Mistura de nutrientes melhora memória de pacientes com Alzheimer

Coquetel com três compostos naturais encontrados em carnes e ovos promove criação de novas conexões entre as células cerebrais

Ilustração: Christine Daniloff
Gráfico descreve uma sinapse, conexão entre as células cerebrais
Gráfico descreve uma sinapse, conexão entre as células cerebrais

Pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology, nos Estados Unidos, descobriram que um coquetel de nutrientes pode melhorar a memória em pacientes com doença de Alzheimer precoce.

Os resultados confirmam a eficácia de um suplemento nutricional descrito em um estudo anterior na promoção de novas conexões entre as células cerebrais.

Pacientes de Alzheimer perdem gradualmente essas conexões, conhecidas como sinapses, levando a perda de memória e outras deficiências cognitivas. "O suplemento, conhecido como Souvenaid, parece estimular o crescimento de novas sinapses. Você quer aumentar o número de sinapses, não retardando sua degradação, mas sim pelo aumento da formação de novas sinapses", afirma Richard Wurtman, que criou o coquetel de nutrientes.

Para isso, Wurtman e seus colegas criaram uma mistura de três compostos naturais dietéticos: colina, uridina e ácido graxos ômega-3. A colina pode ser encontrada em carnes, nozes e ovos, ácidos graxos ômega-3 são encontrados em uma variedade de fontes, incluindo peixes, ovos e linhaça. A uridina é produzida pelo fígado e rim, e está presente em alguns alimentos como um componente de RNA.

Estes nutrientes são precursores das moléculas lipídicas que, juntamente com proteínas específicas, compõem as membranas das células do cérebro, que formam sinapses. Para serem eficazes, todos os três precursores devem ser administrados em conjunto.

Estudos anteriores com animais mostraram que a dieta com o coquetel aumentou o número de espinhas dendríticas, ou afloramentos de pequenas membranas neurais, encontradas nas células cerebrais. Estes espinhos são necessários para formar novas sinapses entre os neurônios.

Após os estudos em animais, Philip Scheltens, da VU University Medical Center, em Amsterdam, liderou um estudo clínico na Europa envolvendo 225 doentes com Alzheimer. Os pacientes beberam Souvenaid ou uma bebida controle por dia durante três meses.

Esse estudo, relatada pela primeira vez em 2008, descobriu que 40% dos pacientes que consumiram a bebida se saíram melhor em um teste de memória verbal, enquanto 24% dos pacientes que receberam a bebida controle melhoraram seu desempenho.

O novo estudo, realizado em vários países europeus e supervisionado por Scheltens como investigador principal, seguiu 259 pacientes por seis meses. Pacientes, que tomaram Souvenaid ou um placebo, melhoraram o desempenho da memória verbal nos três primeiros meses, mas os doentes tratados com placebo se deterioraram durante os três meses seguintes, enquanto os pacientes com Souvenaid continuaram a melhorar.

Para este estudo, os pesquisadores usaram testes de memória mais abrangentes retirados da bateria de testes neuropsicológicos, muitas vezes utilizada para avaliar pacientes de Alzheimer em pesquisa clínica.

A equipe agora está iniciando uma experiência de dois anos, envolvendo pacientes que não têm a doença de Alzheimer, mas que estão começando a mostrar comprometimento cognitivo leve. "Se a bebida parecer ajudar, poderia ser utilizada em pessoas com teste positivo para sinais muito adiantados da doença de Alzheimer, antes de os sintomas aparecerem", concluem os pesquisadores.

Fonte: Isaude.net