Ciência e Tecnologia
09.07.2012

Desenvolvida vacina capaz de promover perda de peso em ratos

Injeção produz anticorpos contra a somatostatina, que inibe ação de hormônios que aceleram o metabolismo e levam à perda de peso

Cientistas dos Estados unidos desenvolvem vacinas capazes de promover a perda de peso. Resultados de estudo publicados no Journal of Animal Science and Biotechnology aponta a eficácia de duas vacinas com somatostatina modificada - JH17 e JH18 - na redução do ganho de peso e no aumento da perda de peso em ratos.

A somatostatina, um hormônio peptídico, inibe a ação do hormônio de crescimento (GH) e de uma proteína chamada IGF-1, ambos capazes de acelerar o metabolismo e levar a perda de peso. A vacinação com somatostatina modificada faz com que o corpo produza anticorpos contra a somatostatina, removendo efetivamente esta inibição, sem interferir diretamente com os hormônios de crescimento e, posteriormente, aumenta o gasto energético e, consequentemente, a perda de peso.

O pesquisador Keith Haffer, da Braasch Biotech LLC (EUA), testou as vacinas em dois grupos de dez ratos machos induzidos à obesidade que foram comparados a um grupo controle de dez cobaias que receberam injeções de solução salina. Os animais de todos os grupos foram alimentados com uma dieta rica em gorduras durante oito semanas antes do estudo e continuaram sendo alimentados da mesma forma durante as seis semanas de estudo. As vacinas foram administradas duas vezes - no início do estudo seguido por uma vacinação de reforço no 22º dia.

Quatro dias após a primeira injeção de somatostatina modificada, as cobaias vacinadas tiveram uma queda de 10% no peso corporal, que não foi identificada no grupo controle. No final do estudo, os resultados mostraram que ambas as vacinas induziram a produção de anticorpos contra a somatostatina e reduziram de forma significativa o peso corporal, sustentando um peso corporal de 10% inferior, sem afetar os níveis normais do hormônio do crescimento IGF-1, ou os níveis de insulina.

"Este estudo demonstra a possibilidade de um tratamento contra a obesidade por meio a vacinação", destaca Haffer. No entanto, o pesquisador destaca que mais estudos são necessários para identificar as implicações desta nova abordagem em longo prazo.

Fonte: Isaude.net