Ciência e Tecnologia
26.06.2012

Sensores melhoram tratamento de pessoas com lesões nas articulações

Dispositivo mede cargas de estresse sobre as conexões ósseas, reduzindo tempo de reabilitação e permitindo cura mais consistente

Foto: UA Biomedical Engineering Department/UA Orthopaedic Research Lab
Tansmissor de primeira geração (branco, circular) para medição e transmissão é comparado com novo chip transmissor (verde, rectangular) que pode ser implantado em pacientes
Tansmissor de primeira geração (branco, circular) para medição e transmissão é comparado com novo chip transmissor (verde, rectangular) que pode ser implantado em pacientes

Pesquisadores da University of Arizona, nos Estados Unidos, desenvolveram um dispositivo capaz de melhorar a regeneração de ossos e cartilagens para pacientes com lesões articulares.

Os novos sensores implantáveis nos pacientes medem com mais precisão as cargas de estresse sobre as articulações e fornecem aos médicos uma melhor compreensão sobre o processo de cura dessas conexões entre dois ou mais ossos.

Segundo os pesquisadores, armados com estes dados, os médicos poderão aconselhar os doentes sobre os níveis mais seguros e benéficos de atividade após a cirurgia convencional de reparação.

Os sensores também transmitem suas medições sem a necessidade de fios, permitindo que os pacientes submetidos à terapia de crescimento da cartilagem monitorem suas próprias cargas de estresse comuns em tempo real.

"Medir com precisão as cargas dentro de uma articulação reparada ajuda a determinar maneiras mais inteligentes de curar essas conexões", afirma o coautor da pesquisa John Szivek.

De acordo com os pesquisadores, ninguém sabia realmente quais cargas específicas estavam sobre essas articulações antes da pesquisa.

Monitorar e gravar as pressões envolvidas em diferentes atividades dos pacientes diminui o tempo de reabilitação e permite que eles sejam curados de forma mais consistente, sem se machucarem durante ou após a reabilitação.

O objetivo final da equipe é colocar os transmissores em um único chip de computador pequeno. Esses chips sem fio vão transmitir a atividade do paciente, inclusive relatando a história recente de cargas diversas em uma articulação reparada.

Os pacientes também vão poder monitorar a própria cura através de relatórios recebidos no celular. "A ideia de ter um dispositivo projetado especificamente para um paciente, ligado a um sistema que fornece feedback dinâmico diretamente para o paciente, tem grandes possibilidades", conclui a pesquisadora Jennifer Barton.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net