Geral
26.06.2012

Exposição ao fumo passivo aumenta risco de diabetes em adultos

Pessoas em contato com a fumaça do cigarro apresentaram maior resistência à insulina e níveis mais elevados de açúcar no sangue

A exposição ao fumo passivo parece estar associada com maior risco de diabetes tipo 2 em adultos, de acordo com estudo apresentado na The Endocrine Society's Annual Meeting.

Os resultados revelam que pessoas expostas à fumaça do cigarro apresentaram maior resistência à insulina, que pode levar ao diabetes, níveis mais elevados de açúcar no sangue em jejum e uma leitura mais elevada de hemoglobina A1c, marcador do controle do açúcar no sangue.

Para o trabalho, os pesquisadores da Charles R. Drew University em Los Angeles recrutaram dados de mais de 6.300 adultos que participaram do U.S. National Health and Nutrition Examination Survey entre 2001 e 2006.

Comparados aos não fumantes, aqueles expostos à fumaça passiva apresentaram maior taxa de diabetes tipo 2 e um maior índice de massa corporal (IMC).

As taxas de diabetes foram semelhantes para as pessoas expostas ao fumo passivo e os fumantes e ambos os grupos tiveram uma maior hemoglobina A1c que os não fumantes.

Embora o estudo tenha mostrado uma associação entre a exposição ao fumo passivo e o risco de obesidade e diabetes tipo 2, os pesquisadores não conseguiram determinar a relação de causa e efeito.

"O que descobrimos é que a associação entre fumo passivo e diabetes tipo 2 não foi devido à obesidade. No entanto, mais estudos são necessários para mostrar se o fumo passivo é uma causa de diabetes", afirma o coautor Theodore Friedman.

Os autores ressaltam que mais esforço deve ser feito para reduzir a exposição das pessoas ao fumo passivo.

Fonte: Isaude.net