Ciência e Tecnologia
25.06.2012

Ação hormonal explica porque sempre há espaço para a sobremesa

Estudo sugere que a grelina é a responsável por aumentar estímulo para se comer doces, mesmo quando já se está com estômago cheio

Foto: Idiva Images
Papel da grelina foi estudado sobre o que ficou conhecido como 'fenômeno da sobremesa', caracterizado pela vontade de comer doces após as refeições, mesmo com o estômago cheio
Papel da grelina foi estudado sobre o que ficou conhecido como 'fenômeno da sobremesa', caracterizado pela vontade de comer doces após as refeições, mesmo com o estômago cheio

Estudo realizado por pesquisadores do Canadá sugere que a grelina, hormônio que induz o apetite, é a responsável por aumentar estímulo para se comer doces, mesmo quando já se está com estômago cheio. Resultados foram apresentados na 94ª edição do Encontro Anual da Sociedade de Endocrinologia, em Houston, nos Estados Unidos.

O estudo, realizado com ratos, mostrou que as cobaias que não tinham o gene receptor da grelina comiam menos doces após uma refeição completa em comparação com ratos com o receptor intacto.

" Os receptores de grelina podem ser um alvo importante para o tratamento da obesidade" , observa a líder do estudo, Veronique St-Onge, da Carleton University (Canadá).

O papel da grelina - também conhecida como 'hormona da fome' - foi estudado sobre o que ficou conhecido como 'fenômeno da sobremesa', caracterizado pela vontade de comer doces após as refeições, mesmo com o estômago cheio.Para isso, os pesquisadores utilizaram um grupo de ratos em que os sinalizadores de grelina foram geneticamente alterados. Os investigadores compararam estes ratos com o grupo de controle de cobaias.

Cada grupo era composto por dez ratos que tinham livre acesso à sua dose regular de comida durante quatro horas por dia. No último dia do estudo, foi oferecido a cada rato 30 gramas de doces durante a última hora de acesso à comida.

Não houve diferença na quantidade de ração para ratos que comeram. No entanto, os ratos geneticamente alterados comeram menos doces do que os outros (seis e oito gramas, respectivamente). A diferença é estatisticamente significativa quando comparada a quantidade comida por gramas de peso corporal.

" Resultados sublinham a ideia de que a grelina está envolvida na alimentação baseada na 'compensação' e atrasa o término de uma refeição" , afirma St-Onge.

De acordo com os autores do estudo, uma maior compreensão da ação da grelina pode ser útil para a prevenção da obesidade que resulta do consumo exagerado da chamada 'comida de compensação'.

Fonte: Isaude.net