Ciência e Tecnologia
25.06.2012

Idosos que tomam suplementos de vitamina D junto com cálcio vivem mais

Especialista recomenda que mulheres iniciem suplementação em torno da menopausa e homens por volta dos 50 anos

Idosos que tomam suplementos de vitamina D junto com cálcio vivem mais. É o que sugere revisão de estudos realizada na Dinamarca.

Pesquisadores analisaram dados sobre a ingestão de vitamina D de mais de 70 mil de idosos com idades entre 60 e 70 anos. Eles descobriram que pessoas que tomaram vitamina D, juntamente com suplementos de cálcio, apresentaram 9% menos chance de morrer durante os três anos seguintes, em comparação com idosos que não tomaram nenhuma suplementação. No entanto, a equipe do Aarhus University Hospital, na Dinamarca, encontrou evidências de que a vitamina D sozinha não apresentou efeitos significativos contra a mortalidade.

As descobertas vêm na esteira de vários estudos com resultados conflitantes sobre os benefícios da vitamina D à saúde, incluindo os seus possíveis efeitos sobre a longevidade. A nova revisão incluiu oito ensaios clínicos randomizados.

De acordo com o estudo, a suplementação apresentou efeito significativo sobre as taxas de mortalidade apenas depois de três anos de administração, as taxas de mortalidade não foram significativamente diferentes entre aqueles que tomaram a vitamina D com cálcio durante um ou dois anos.

Na revisão, os pesquisadores descobriram que 5,5% das 35,412 pessoas que não tomaram vitamina D ou cálcio morreram durante o período de estudo, enquanto a taxa de falecimento no período ficou em 5,3% entre as 35,116 pessoas que tomaram somente vitamina D. Mas entre as 27.354 pessoas que tomavam vitamina D junto com cálcio, a taxa de mortes ficou em 4,1%.

"Vitamina D e cálcio são importantes ao longo da vida, por causa de seu papel na saúde óssea", diz o líder do estudo Lars Rejnmark. O pesquisador recomenda que as pessoas comecem a prestar atenção na ingestão destes suplementos "em torno da menopausa para as mulheres, e por volta dos 50 anos para os homens."

Embora a revisão tenha sido baseada em estudos de pessoas que tomaram suplementos, Rejnmark observa que não acredita que os benefícios sejam diferentes para as pessoas que recebem os nutrientes por meio de alimentos.

Fonte: Isaude.net