Geral
18.06.2012

Piauí vai realizar primeira cirurgia por vídeo para doença urológica do estado

Hospital referência no atendimento de saúde a crianças busca zerar fila de espera por cirurgias que já teve até 1,2 mil pacientes

Foto: Paulo Barros/Governo do Piauí
Médica realiza exame em criança no Hospital Infantil Lucídio Portela, no Piauí.
Médica realiza exame em criança no Hospital Infantil Lucídio Portela, no Piauí.

O Hospital Infantil Lucídio Portela (HILP), referência no atendimento de saúde a crianças no Piauí, vai realizar a primeira vídeocirurgia para doença urológica do estado. O paciente será operado em 15 dias. O procedimento acompanha o esforço da unidade da capital do estado, Teresina, que já chegou a acumular uma lista de espera de até 1.200 pacientes para a realização de cirurgias eletivas no último ano. O tratamento será oferecido pelo SUS.

" Todos aqueles que estavam na lista de espera e que conseguimos manter contato já foram operados. No entanto, ainda existem 200 pacientes que não foram encontrados nos endereços deixados no hospital" , diz o diretor do HILP, o médico Ednaldo Miranda.

O médico faz um apelo para que as famílias procurem o hospital para remarcar as cirurgias. " Gostaríamos de dizer para aquelas famílias que estavam aguardando cirurgias que procurem a direção. Qualquer dia da semana tem cirurgião pediátrico atendendo. O usuário terá sua cirurgia agendada imediatamente para um espaço mínimo de duas semanas" , acrescenta.

" Voltamos a fazer mais de 200 cirurgias por mês onde atendemos um número significativo de crianças com problemas urinários" , diz o diretor.

" Pela primeira vez no SUS, estamos fazendo a retirada endoscópica e percutânea de cálculo renal e ureteral em crianças. Este ano o hospital adquiriu todos os equipamentos necessários. Atendemos um bebê de 1,5 kg até um adolescente de 18 anos" , diz o Ednaldo Miranda. Segundo ele, 40% das doenças com tratamento cirúrgico nas crianças são provenientes do aparelho urinário. "É quase a metade, sem falar aquelas que têm problemas diagnosticados ainda na gravidez. Para citar alguns, hoje atendemos casos de crianças que precisam de reconstrução da uretra, de cirurgia para incontinência urinária, câncer na bexiga, hérnia, varicocele, enfim, todas as doenças do trato urinário" , destaca.

De acordo com Ednaldo Miranda, o hospital dispõe hoje de um laboratório equipado e dedicado a criança com algum tipo de problema na bexiga. Mais de 600 pacientes são acompanhados na unidade.

Segundo o diretor, o Piauí é o estado mais casos individuais de Síndrome Urofacial de Uchôa. São 11 pacientes em acompanhamento. As crianças que sofrem dessa doença nascem com uma alteração gênica. Quando a bexiga contrai, o esfincter urinário, ao invés de relaxar, contrai também. Isso faz com que a urina volte para o rim e cause insuficiência renal. " Geralmente pacientes com 15 a 16 anos vão pra hemodiálise e precisam até de transplante" , diz.

Fonte: Isaude.net