Geral
29.05.2012

Modelo experimental detecta câncer de cólon com mais de 90% de precisão

Técnica usa análises de bioinformática do DNA para distinguir entre tumores cancerígenos e não cancerígenos

Foto: Universidad Politécnica de Madrid
Imagem mostra dois canais de vidro de DNA
Imagem mostra dois canais de vidro de DNA

Pesquisadores da Faculdade da Universidad Politécnica de Madrid, na Espanha, desenvolveram um modelo experimental capaz de diagnosticar o câncer de cólon com base em um painel de biomarcadores.

Os resultados mostraram que a técnica classifica as amostras cancerígenas e não cancerígenas com precisão de 94,45%.

O modelo matemático utiliza um conjunto de padrões de expressão de biomarcadores para diagnosticar de forma objetiva o câncer de cólon. Para fazer isso, uma tecnologia de micromatrizes é usada em combinação com análises de bioinformática de dados fornecidos por chips de DNA.

Um chip de DNA é uma coleção de fragmentos de DNA ligada a uma superfície sólida. Esses chips são utilizados para analisar a expressão diferencial de genes, simultaneamente vasculhando através de milhares de genes.

Usando a tecnologia acima, o pesquisador Pedro Larrañaga e seus colegas conseguiram identificar um painel de biomarcadores para o diagnóstico precoce do câncer de cólon, que consistiam em sete genes capazes de discriminar corretamente tumores cancerígenos daqueles não cancerígenos.

Para o trabalho, a equipe analisou os padrões de expressão gênica do câncer de cólon humano em 31 amostras de tumores que correspondem a diferentes estágios da doença e outras 33 amostras livres de tumor.

Os resultados mostraram que o modelo experimental foi capaz de distinguir entre tumores cancerosos e não cancerosos com 94,45% de precisão.

A equipe, agora, testar a técnica em dados recolhidos de 200 pessoas. Se a eficácia for confirmada, o teste seria escalado para uso em 7000 indivíduos, para posteriormente ser transferido para a prática clínica.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net