Geral
16.05.2012

Comitê consultivo pede que FDA autorize teste de HIV feito em casa

Grupo de especialistas afirma que potencial do dispositivo para prevenir infecções é superior ao risco de falsos resultados

Um comitê consultivo externo da Food and Drug Administration (FDA) - agência reguladora de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos - afirmou, na última terça-feira (15), que o OraQuick, teste de HIV que pode ser realizado em casa, é seguro e que o potencial do dispositivo para prevenir infecções é superior ao risco de falsos resultados. De acordo com informações da AFP, o grupo de especialistas pediu que a agência aprove a comercialização da ferramenta de diagnóstico em farmácias.

O Comitê Assessor de Produtos do Sangue decidiu pela aprovação do OraQuick de forma unânime, por 17 votos a zero. A FDA não tem obrigação de seguir os conselhos do comitê assessor, mas frequentemente o faz.

OraQuick

O teste OraQuick segue a linha dos exames de gravidez comprados em farmácias. Só que a análise é realizada através da saliva. Segundo o fabricante, a precisão é de 93% para resultados positivos e 99,8% para negativos. Os resultados saem em 20 minutos.

Somente nos Estados Unidos, o HIV afeta cerca de 1,2 milhões de pessoas, com 50 mil novos casos a cada ano. Especialistas em saúde pública estimam que cerca de 20% das pessoas que contraíram Aids no país não sabem que estão infectadas pelo vírus HIV.O teste rápido e realizado em casa tem potencial para retardar a evolução das infecções especialmente por quem não sabe que tem a doença.

Segundo informações da BBC, a metodologia do exame OraQuick para identificação do vírus HIV pela boca é aprovada pela FDA desde 2004. Mas até hoje apenas médicos e demais profissionais de saúde podem fazer o teste.

Algumas ONGs de saúde pública já usam o teste há alguns para conseguir detectar a doença principalmente em comunidades remotas, onde é mais difícil fazer o exame de sangue.

Fonte: Isaude.net