Ciência e Tecnologia
09.05.2012

Soja de molho em água morna libera substância capaz de combater o câncer

Sementes de soja incubadas em água a 50°C naturalmente liberam grandes volumes de BBI, que podem ser facilmente colhidos na água

Colocar sementes de soja de molho em água morna pode se tornar uma nova fonte "verde" para a produção de uma substância capaz de combater o câncer, hoje produzida por meio de um complicado e demorado processo industrial. É o que sugere estudo publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry.

O líder da pesquisa Hari Krishnan B., da University of Missouri, explica que o Inibidor de Protease Bowman-Birk (BBI - sigla em inglês), tem se mostrado promissor na prevenção de algumas formas de câncer. Testes clínicos em humanos forneceram evidências dos efeitos benéficos do BBI, incluindo indicações de que a presença da substância na culinária japonesa derivadas das grandes quantidades de soja pode ter relação com as baixas taxas de mortalidade por câncer no Japão.

De acordo com informações publicadas no site Eurekalert, o atual método de extração BBI da soja é demorado e envolve produtos químicos. Os cientistas então iniciaram uma busca por uma maneira mais ecológica e mais ambientalmente amigável de obter BBI.

Eles descobriram que sementes de soja incubadas em água a 122 graus Fahrenheit - o equivalente a 50° Celsius - naturalmente liberam grandes quantidades de BBI, e que a substância pode ser facilmente colhida a partir da água. A proteína parece ser ativa, mostrando em testes laboratoriais ser capaz de interromper o processo de divisão de células de câncer de mama. "A abundância de BBI em sementes de soja exsudatas através da incubação das sementes em água morna fornece um método simples e alternativo para isolar a proteína de baixo peso molecular", concluem os pesquisadores

Fonte: Isaude.net