Geral
08.03.2012

Substância usada no processo de coloração dos refrigerantes pode ser cancerígena

Dados sugerem que 4-metil imidazol presente em bebidas à base de cola estaria ligado ao câncer em animais

Um estudo realizado por pesquisadores do Center for Science in the Public Interest (CSPI), nos Estados Unidos, aponta que os principais refrigerantes à base de cola do mercado possuem uma substância cancerígena em sua composição.

Os dados sugerem que o 4-metil imidazol (4-MI) estaria ligado ao câncer em animais. A substância é usada no processo de obtenção do corante caramelo.

A Food and Drug Administration (FDA), órgão que regula a produção de remédios e alimentos, está analisando a denúncia do CSPI, mas não acredita que os refrigerantes ofereçam um risco cancerígeno real à saúde.

Segundo o diretor do CSPI, Michael F. Jacobson, os fabricantes de Coca Cola e Pepsi estão expondo desnecessariamente milhões de americanos a uma substância química que causa câncer.

"A coloração é completamente cosmética e não adiciona nada para o sabor do produto. Se as empresas puderem desenvolver um corante alimentício marrom que não seja cancerígeno, o 4-metil imidazol deve ser substituído", afirma Jacobson.

Enquanto a lei federal proíbe aditivos alimentares que causam qualquer tipo de câncer, o FDA tem uma exceção para os contaminantes de aditivos alimentares, tolerando um risco de vida de um câncer em um milhão de pessoas.

Alguns refrigerantes testados no estudo apresentaram um índice de sete cânceres em um milhão de pessoas, um nível sete vezes maior do que o tolerado. Segundo o CSPI, esses níveis de 4-metil imidazol podem ser reduzidos sem prejudicar o produto.

A Pepsi informou ao CSPI que mudou a base da coloração na Califórnia, que contém muito menos 4-MI e planeja fazer o mesmo no resto do país.

Apesar dos resultados preocupantes, O CSPI afirma que consumidores de refrigerante devem estar mais preocupados com o xarope de milho rico em frutose e outros açúcares usados em refrigerantes, que podem levar a excesso de peso, obesidade, diabetes e outros problemas de saúde.

Segundo a Associação Americana de Bebidas, esse estudo não é nada mais que uma tática de pavor do CSPI e as afirmações são ultrajantes. A ciência simplesmente não mostra que o 4-MI em alimentos ou bebidas seja uma ameaça à saúde humana. "Na verdade, dados de agências reguladoras em todo o mundo, incluindo o FDA, a Autoridade Europeia de Saúde Alimentar e a Saúde Canadá consideram o corante caramelo seguro para uso em alimentos e bebidas. O CSPI alega fraudulentamente que está operando em interesse da saúde pública, quando está claro que sua única motivação é assustar o povo americano", relata a associação em resposta ao CSPI.

Fonte: Isaude.net