Ciência e Tecnologia
07.01.2012

Exame de sangue simples prevê sexo do bebê no primeiro trimestre de gestação

Medir a relação entre as enzimas DYS14 e GAPDH no plasma materno é um indicador eficaz do sexo fetal

Uma nova pesquisa publicada na edição edição de janeiro 2012 da The FASEB Journal descreve descobertas que podem levar a um teste não-invasivo capaz de permitir às mães grávidas saber o sexo do bebê logo no primeiro trimestre. Especificamente, os pesquisadores da Coreia do Sul descobriram que várias proporções de duas enzimas (DYS14/GAPDH), que podem ser extraídas do sangue da grávida, indicam se o bebê será um menino ou uma menina. Tal teste seria o primeiro de seu tipo.

"Geralmente, a determinação do sexo fetal precoce tem sido realizada por meio de procedimentos invasivos como biópsia de vilo corial ou amniocentese. No entanto, estes procedimentos invasivos ainda carregam um risco de aborto de 1% a 2% e não podem ser realizados até 11 semanas de gestação. Além disso, a determinação confiável do sexo fetal utilizando ultra-sonografia não pode ser realizada no primeiro trimestre, porque o desenvolvimento da genitália externa não está completo. Portanto, isto pode reduzir a necessidade de procedimentos invasivos nas mulheres grávidas portadoras de uma anormalidade cromossômica ligada ao X e esclarecer leituras inconclusivas de ultra-sonografia", disse Hyun Mee Ryu, um pesquisador envolvido no trabalho, do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia do Cheil General Hospital and Women's Health Care da KwanDong University School of Medicine, em Seul, na Coreia.

Para fazer esta descoberta, Ryu e seus colegas coletaram plasma materno de 203 mulheres durante o primeiro trimestre da gravidez. A presença de DNA fetal circulante foi confirmada por uma reação de cadeia polimerase metilação específica quantitativa de U-PDE9A. A reação múltipla de cadeia de polimerase em tempo real foi utilizada para, simultaneamente determinar a quantidade de DYS14 e GAPDH no plasma materno. Os resultados foram confirmados pelo fenótipo ao nascimento.

"Embora mais trabalho deva ser feito antes que tal teste esteja amplamente disponível, este trabalho mostra que é possível prever o sexo de uma criança já nas primeiras semanas após a concepção. No momento, os pais recebem, por vezes, a informação errada sobre o sexo de seu filho que ainda não nasceu, este teste deve provar ser útil na resolução de quaisquer incertezas das observações de ultra-som de hoje", disse Gerald Weissmann, redator chefe da The FASEB Journal.

Fonte: Isaude.net