Ciência e Tecnologia
16.12.2011

Curativo estimula e direciona crescimento de vasos sanguíneos em feridas

Bandagem pode ter várias aplicações como aumentar vascularização de tecidos e melhorar entrega de drogas anti-câncer

Foto: University of Illinois
Rashid Bashir, co-autor da pesquisa durante o processo de investigação da pesquisa
Rashid Bashir, co-autor da pesquisa durante o processo de investigação da pesquisa

Pesquisadores da University of Illinois, nos Estados Unidos, desenvolveram um curativo que estimula e direciona o crescimento dos vasos sanguíneos na superfície de uma ferida.

A bandagem, chamada de "selo microvascular", contém células vivas que fornecem fatores de crescimento para tecidos danificados em um padrão definido.

Segundo os pesquisadores, a habilidade de padronizar a função dos vasos sanguíneos a esta escala em tecidos vivos, nunca antes demonstrada, pode permitir alterar as características dos vasos sanguíneos.

Abordagens anteriores tentaram embutir fatores de crescimento em materiais aplicados a feridas para dirigir o crescimento do vaso sanguíneo. A nova abordagem é a primeira a incorporar as células vivas em um selo. Estas células liberam fatores de crescimento de uma forma mais sustentada e orientada do que outros métodos.

O selo tem quase um centímetro de diâmetro e é construído de camadas de um hidrogel feito de polietileno glicol e alginato metacrílico. Ele é poroso, permitindo que pequenas moléculas atravessem completamente, e contem canais de vários tamanhos para direcionar o fluxo de moléculas maiores, como fatores de crescimento.

Os pesquisadores testaram a bandagem sobre a superfície de um embrião de uma galinha. Depois de uma semana o selo foi removido, revelando uma rede de novos vasos sanguíneos que espelhava o padrão dos canais presentes no selo. "Esta é a primeira demonstração de que os vasos sanguíneos podem ser controlados por biomateriais", observa o co-autor da pesquisa Hyunjoon Kong, que desenvolveu o projeto ao lado do professor Rashid Bashir (foto).

De acordo com os pesquisadores, o novo selo possui muitas aplicações potenciais, como dirigir o crescimento de vasos sanguíneos em torno de uma artéria obstruída, aumentar a vascularização dos tecidos com má circulação sanguínea, ' normalizar' os vasos sanguíneos que alimentam um tumor para melhorar a entrega de drogas anti-câncer. "Realçar o crescimento de novos vasos sanguíneos em um padrão coordenado após a cirurgia também pode reduzir o tempo de recuperação e diminuir a quantidade de tecido cicatricial", afirmam os autores.

Em um estudo publicado no início de 2010, a equipe desenvolveu um material biodegradável que sustenta células vivas. Investigações futuras irão testar se o novo material também pode ser utilizado como um selo microvascular.

Fonte: Isaude.net