Geral
16.11.2011

Sexo na adolescência causa efeitos negativos sobre corpo e humor na vida adulta

Alterações se devem ao fato de as relações sexuais acontecerem em um momento em que o corpo ainda está em desenvolvimento

Estudo realizado por investigadores da Ohio State University, nos Estados Unidos, sugere que o sexo durante a adolescência pode ter efeitos negativos duradouros sobre o corpo e humor à vida adulta.

Os resultados sugerem que a influência acontece, muito provavelmente, porque a atividade ocorre quando o sistema nervoso ainda está se desenvolvendo. Enquanto o trabalho utilizou animais de laboratório, os pesquisadores acreditam que as relações podem ser aplicáveis na compreensão do desenvolvimento sexual humano.

Pesquisadores emparelharam camundongos adultos do sexo feminino com camundongos machos quando os machos tinham 40 dias de idade, o equivalente a um ser humano adolescente.

Eles descobriram que esses animais do sexo masculino que passaram por uma experiência sexual no início da vida mais tarde mostraram mais sinais de depressão, menor massa corporal, menores tecidos reprodutivos e alterações nas células do cérebro em comparação com animais que não foram expostos ao sexo.

Entre as alterações celulares observadas nos animais que tiveram relações sexuais durante a adolescência estavam maiores níveis de expressão de um gene associado à inflamação no tecido cerebral e estruturas celulares menos complexas em áreas de sinalização do cérebro.

Eles também mostraram sinais de uma forte resposta imunológica a um teste de sensibilidade, sugerindo que o sistema imunológico estava sempre de prontidão, mesmo sem a presença de infecção, sinal potencial de um problema auto-imune.

De acordo com os pesquisadores, a combinação de respostas fisiológicas na idade adulta não necessariamente causou danos, mas sugere que a atividade sexual durante o desenvolvimento do sistema nervoso pode ser interpretada pelo corpo como um fator de estresse.

Sem mais pesquisas, os cientistas não podem saber exatamente o que essas diferenças cerebrais significam. Mas como elas foram vistas mais proeminente nos animais que foram expostos ao sexo na adolescência, eles acreditam que haja uma clara associação com a atividade.

Há um momento no desenvolvimento do sistema nervoso quando as coisas estão mudando muito rapidamente, e parte dessas mudanças são preparações para comportamentos reprodutivos e fisiológicos adultos. "Existe a possibilidade de que as experiências ambientais, como o sexo, possam ampliar certos efeitos se ocorrem antes que o sistema nervoso tenha se estabelecido na idade adulta", conclui o coautor Zachary Weil.

Os pesquisadores usaram camundongos devido às semelhanças fisiológicas com os seres humanos, especificamente na aprendizagem de como o corpo responde à atividade sexual precoce na vida.

Acesse este link para ler o artigo original na íntegra.

Fonte: Isaude.net