Geral
09.11.2011

Resposta à quimioterapia está ligada a fatores hereditários

Estudo realizado com câncer derivado de 14 famílias mostra que a genética influencia entre 15% e 60% das respostas ao tratamento

Foto: Dan Sears/UNC
Howard McLeod (à esquerda), principal investigador do estudo, com a estudante de graduação, Anne Dvorak, durante o processo de pesquisa
Howard McLeod (à esquerda), principal investigador do estudo, com a estudante de graduação, Anne Dvorak, durante o processo de pesquisa

Pesquisadores da University of North Carolina, nos Estados Unidos, descobriram que a resposta de um paciente à quimioterapia está ligada a fatores hereditários.

O estudo, realizado com 29 drogas quimioterápicas, mostrou que a influência da genética na resposta ao tratamento varia de maneira significativa entre diferentes medicamentos e classes de drogas.

As novas evidências podem ajudar a explicar por que a terapia quimioterápica funciona melhor para alguns pacientes do que para outros.

Para a pesquisa, a equipe usou células de câncer derivado de 14 famílias. A resposta variou muito entre as 29 drogas testadas. A genética influenciou 15% das respostas a alguns medicamentos e 60% a outros.

Os pesquisadores também descobriram marcadores genéticos que eram exclusivos de medicamentos da mesma família química.

Segundo o investigador principal, Howard McLeod, os resultados podem ajudar os cientistas a focar em regiões do genoma que contêm pistas sobre por que a quimioterapia - ou certas classes de medicamentos quimioterápicos - não funciona bem para alguns pacientes. A equipe defende também a hipótese de que os dados colhidos podem guiar futuras pesquisas sobre a resistência à quimioterapia.

O estudo na íntegra - publicado no jornal online Pharmacogenomics - pode ser acessado neste link.

Fonte: Isaude.net