Ciência e Tecnologia
29.10.2011

Enxaqueca compromete funções cognitivas e desempenho da memória em crianças

Quadros de cefaleia aguda prejudicam a atenção visual, o processamento de informações e a fixação na memória

Uma pesquisa desenvolvida na universidade Federal de São Paulo (Unifesp) aponta que redução no desempenho de funções cognitivas de crianças, como dificuldade na atenção e disfunção da memória, pode ter como causa crises de cefaleia aguda. Segundo o estudo, crianças com enxaqueca, quando comparadas a crianças sem dor de cabeça, apresentaram maior dificuldade de atenção e de retenção da memória.

De acordo com a pesquisadora Thaís Rodrigues Villa " na prática clínica é comum a queixa dos pais de que a criança com enxaqueca apresenta dificuldades em prestar atenção em casa, além de apresentarem lapsos de memória. Essas queixas também são recorrentes na escola, onde muitas dessas crianças apresentam dificuldades de aprendizado" .

Embasada por essas queixas, a equipe do setor de Cefaléia da Unifesp - composta pela neurologista responsável pelo estudo, Thaís Villa e a psicóloga Andrea Regina Moutran - realizou a pesquisa, com testes específicos sobre a atenção e outras funções cognitivas de crianças com idade entre 8 e 12 anos. Foram avaliadas 30 crianças com enxaqueca e outras 30 sem nenhuma queixa da dor.

O estudo observou que as crianças com enxaqueca apresentaram maiores dificuldades de atenção visual, retenção de memória e velocidade no processamento das informações. " Por esse motivo, toda criança que for diagnosticada com enxaqueca deve ter o desempenho escolar avaliado e questionado. Se houver dificuldades de aprendizado, elas devem ser investigadas e tratadas em conjunto com o problema da cefaleia" , afirma Thaís.

Os estudos duraram cerca de dois anos e, durante esse período, foi realizada uma avaliação individual de cada paciente por dois meses. Aqueles diagnosticados com o problema receberam acompanhamento no ambulatório de cefaleia da Unifesp.

Fonte: Isaude.net