Geral
18.08.2011

Antipsicóticos são mais eficazes no tratamento da bipolaridade

Pesquisadores compararam benefícios e efeitos colaterais das drogas utilizadas no tratamento de episódios agudos de obsessão

Os episódios de obsessão ou mania sofridos por pessoas com transtorno bipolar são melhor controlados por medicamentos antipsicóticos do que por estabilizadores de humor, de acordo com estudo realizado na Universidade de Verona, na Itália.

Os pesquisadores descobriram que três antipsicóticos - Haloperidol de primeira geração (Haldol), juntamente com formulações posteriores de Rrisperidona (Risperdal) e Olanzapine (Zyprexa) - superaram 11 outras drogas. Eles analisaram os resultados de 68 ensaios controlados e aleatórios com mais de 16 mil participantes ao longo de um período de 30 anos.

A obsessão normalmente se alterna com a depressão nas pessoas com transtorno bipolar. Episódios agudos de mania, caracterizados por hiperatividade, pensamentos rápidos e comportamentos imprudentes, não são sentidos por todos os pacientes bipolares, mas os sintomas graves geralmente requerem internação hospitalar.

A condição amplamente definida como uma mania relacionada à "variação extrema do humor" afeta cerca de 1% da população, de acordo com os autores do estudo. "O ponto mais importante é que este é um estudo sobre o tratamento de episódios maníacos agudos, e não sobre a prevenção. A ideia de que os tratamentos antipsicóticos são bons para episódios de obsessão é bem conhecida, mas a constatação de que um dos medicamentos mais antigos é o mais eficaz, é digna de ser noticiada", disse o psiquiatra Gregory Simon.

Antipsicóticos e outros medicamentos usados para tratar a mania são conhecidos por terem muitos efeitos colaterais, que por vezes podem atrapalhar o tratamento. Segundo a coautora do estudo, Andrea Cipriani, professora de psiquiatria da Universidade de Verona, o Haloperidol e a Risperidona são mais propensos do que a Olanzapina de causar problemas de movimento como tremores e rigidez. Os efeitos colaterais da Olanzapina estão ligados a taxas mais elevadas de ganho de peso, síndrome metabólica e diabetes. Alguns antipsicóticos também podem causar batimentos cardíacos irregulares.

Cipriani afirma que esta foi a primeira pesquisa de seu tipo a comparar drogas anti-obsessivas, incluindo antipsicóticos, anticonvulsivantes e lítio, e a classificá-las de acordo com a eficácia e a capacidade de serem toleradas. Ela e seus colegas concluíram um estudo semelhante sobre antidepressivos há vários anos.

Comparando as drogas, os autores do estudo descobriram que o Haloperidol era mais eficaz do que o Aripiprazole, Asenapina, Carbamazepina, Valproato, Gabapentina, Lamotrigina, Lítio, Quetiapina, Ziprasidona e Topiramato. A Risperidona, a Olanzapina e a Quetiapina tinham maior probabilidade de serem toleradas pelos pacientes e superaram o Lítio, a Lamotrigina, o Topiramato e a Gabapentina. "Os psiquiatras têm agora uma hierarquia baseada em evidências para a prescrição de um agente anti-obsessivo para a condição aguda. Há novos tratamentos que têm sido recentemente comercializados, mas este estudo mostra que os médicos devem estar cientes de que estes novos compostos não são melhores que os mais velhos, além de serem mais caros", disse Cipriani.

De acordo com os pesquisadores, o cuidado em longo prazo do transtorno bipolar geralmente requer uma combinação de medicamentos e os antipsicóticos são utilizados geralmente para episódios obsessivos extremos por, no máximo, algumas semanas de cada vez.

Em um comentário que acompanha o estudo, os pesquisadores australianos Michael Berk e Gin S. Malhi disseram que é útil saber que Haloperidol parece ser um tratamento de primeira linha para o tratamento da obsessão aguda. No entanto, eles acreditam que falta ao medicamento a eficácia prolongada contra a depressão, estado clínico predominante dos pacientes com transtorno bipolar.

Fonte: Isaude.net