Ciência e Tecnologia
08.08.2011

Luva com vibração na extremidade dos dedos aumenta sensibilidade tátil

Além do tato, aplicar uma pequena vibração na lateral das pontas dos dedos melhora também o desempenho motor

Foto: Gary Meek
Minoru Shinohara e Jun Ueda, pesquisadores junto a luva que melhora a sensação do toque
Minoru Shinohara e Jun Ueda, pesquisadores junto a luva que melhora a sensação do toque

Pesquisadores do Georgia Institute of Technology desenvolveram uma luva com sensores especiais nas pontas dos dedos para melhorar o tato de quem a utilizar. Aplicar uma pequena vibração na lateral das extremidades dos dedos melhora a sensibilidade tátil e o desempenho motor, de acordo com os resultados da pesquisa.

Um estudo anterior mostrou que a adição de uma quantidade adequada de ruído branco - um conceito chamado de ressonância estocástica - pode melhorar visão, audição, controle do equilíbrio e tato, mas o ruído branco não havia sido incorporado em um dispositivo que se pudesse vestir. Acredita-se que o protótipo da Georgia Tech seja o primeiro aparelho de ressonância estocástica deste tipo.

"Este dispositivo pode um dia ser usado para ajudar as pessoas cujos empregos exigem alta precisão na destreza manual ou aqueles com doenças que reduzem o sentido do tato", disse o professor de engenharia mecânica Jun Ueda, que trabalhou com o professor de fisiologia aplicada Minoru Shinohara para projetar e testar as potencialidades do dispositivo em um pequeno grupo de indivíduos saudáveis.

A invenção usa um estimulador feito de uma pilha de camadas de titanato zirconato de chumbo para gerar vibração de alta frequência. As camadas de cerâmica são piezoelétricas, o que significa que geram uma carga elétrica quando uma força mecânica é aplicada a elas. O estimulador é anexado em uma lateral das pontas dos dedos para que o lado da palma permaneça livre e o indivíduo possa continuar a manipular objetos.

Para este estudo, os pesquisadores ligaram o dispositivo a 10 voluntários adultos saudáveis que realizaram tarefas comuns de habilidades sensoriais e motoras, incluindo a diferenciação de texturas, diferenciação entre dois pontos, identificação de um único ponto tátil e testes de pegar. Os resultados experimentais mostraram que os voluntários se saíram estatisticamente melhor em todas as tarefas quando a vibração mecânica foi aplicada.

"Todos os resultados experimentais mostraram que um pouco de vibração mecânica era melhor do que nada, mas o nível de vibração que elevou as funções sensório-motoras variou estatisticamente no teste", observou Ueda.

Para cada teste, os pesquisadores ligaram o dispositivo ao dedo indicador de um voluntário não dominante e submeteram o dedo a seis vibrações aleatórias que variaram de 0% a 150% do limiar da amplitude de vibração daquela pessoa, um valor que foi determinado pelo teste anterior. O valor limite foi a magnitude de vibração necessária para o indivíduo sentir que o dispositivo estava vibrando.

Todos os quatro testes de capacidade de detecção confirmaram que a aplicação de determinados níveis de vibrações mecânicas aumentou a sensibilidade tátil da ponta dos dedos. No entanto, como os níveis de vibração que criaram resultados estatisticamente relevantes variaram, atualmente os pesquisadores estão realizando experiências para determinar a amplitude ideal, as características da frequência de vibração e a influência da exposição em longo prazo a estas vibrações. Os pesquisadores também estão trabalhando na otimização do design da luva e testando o efeito de anexar estimuladores em ambos os lados da ponta dos dedos ou da unha.

"O futuro desta pesquisa pode levar ao desenvolvimento de um aparelho ortopédico que possa ajudar as pessoas com danos nos nervos periféricos a retomar as atividades diárias ou a melhorar as habilidades de pessoas com empregos que exigem habilidades de manipulação ou de discriminação de texturas", disse Ueda.

Fonte: Isaude.net