Ciência e Tecnologia
13.06.2011

Novo curativo muda de cor para indicar presença de infecções

Abordagem pode levar a tratamentos mais rápidos e mais eficazes para feridas crônicas, como úlceras de perna e escaras

Foto: Lance Nichols/CSIRO
Fibras usadas no curativo pode responder às mudanças de temperatura
Fibras usadas no curativo pode responder às mudanças de temperatura

Cientistas da Universidade de Monash, na Austrália, desenvolveram um novo curativo que adverte a presença de infecção pela mudança de cor. A invenção pode levar a tratamentos mais rápidos e eficazes para feridas crônicas, como úlceras de perna e escaras.

O curativo funciona mudando de cor de acordo com a temperatura. As mudanças de temperatura podem indicar uma inflamação ou sugerir problemas com o suprimento de sangue, o que pode levar à infecção. O curativo pode ajudar pacientes e médicos a detectar as infecções precocemente, permitindo-lhes tratar as complicações antes que se tornem sérias.

"Se os problemas não são rapidamente identificados e tratados, as feridas podem persistir por meses ou anos, resultando em uma redução significativa na qualidade de vida" , observou a líder do estudo Louise van der Werff.

Até agora, os pesquisadores desenvolveram com sucesso um tecido sensível à temperatura, com o próximo passo sendo transformá-lo em uma bandagem plena que será disponibilizada comercialmente.

"O tecido que criamos é sensível a mudanças de menos de meio grau Celsius. Os pacientes e os médicos serão capazes de combinar a cor das fibras com um gráfico de calibração que indica a saúde da ferida" , afirmou van der Werff.

Atualmente, os médicos utilizam o equipamento eletrônico para determinar a temperatura em toda a ferida e no tecido circundante. Esperamos que o curativo possa proporcionar economia de custos significativa.

Fonte: Isaude.net