Ciência e Tecnologia
17.05.2011

Abuso físico na infância está associado à síndrome da fadiga crônica

Mulheres que foram abusadas fisicamente quando crianças têm duas vezes mais chances de ter síndrome da fadiga crônica

O abuso físico na infância está associado às taxas significativamente elevadas das síndromes somáticas funcionais como a síndrome da fadiga crônica, a fibromialgia e a sensibilidade química múltipla entre as mulheres, de acordo com novos resultados de pesquisadores da University of Toronto.

"As mulheres que relataram terem sido fisicamente abusadas quando crianças têm duas vezes mais chances de síndrome da fadiga crônica e de sensibilidade química múltipla, e 65% mais chance de fibromialgia", disse o investigador principal, o professor Esme Fuller-Thomson. "Estes resultados persistiram mesmo após o controle de fatores que poderiam nos confundir, como outras experiências adversas na infância, idade, raça, saúde mental e situação socioeconômica adulta".

O estudo analisou estatísticas obtidas em uma subamostra regional de 2005 da Pesquisa de Saúde Comunitária Canadense realizada com 7.342 mulheres, 10% das quais relataram terem sofrido abusos físicos na infância. Uma minoria das mulheres relatou ter sido diagnosticada por um profissional de saúde com síndrome da fadiga crônica (1,3%), fibromialgia (2,5%), ou sensibilidade química múltipla (2,7%).

A co-autora Joanne Sulman, do Departamento de Serviço Social no Toronto' s Mount Sinai Hospital, diz que a pesquisa não só aponta para uma associação entre o abuso na infância física e estes distúrbios, mas também explora a contribuição de outros fatores psicossociais, como outras adversidades da infância, comportamentos de saúde do adulto e a saúde mental.

"Mas, talvez os aspectos mais interessantes da pesquisa sejam as questões que ela levanta, tais como os mecanismos que ligam o abuso físico à síndrome da fadiga crônica, à fibromialgia e à sensibilidade química múltipla" , disse Sulman.

Fonte: Isaude.net