Ciência e Tecnologia
30.03.2011

Dispositivo usa tecnologia de submarinos para diagnosticar ataques cardíacos

Tecnologia permite diagnosticar condições como AVC e traumatismo cranioencefálico através de um "headset" e um console portátil

Dispositivo médico utiliza tecnologia de submarinos para detecção, diagnóstico e acompanhamento de ataques cardíacos. O projeto foi conduzido por pesquisadores da University Health Network, no Canadá.

Cada tipo de acidente vascular cerebral e traumatismo cranioencefálico é detectado, identificado e localizado através de um "headset" simples e um console portátil baseado em um laptop. A portabilidade do dispositivo e a velocidade do diagnóstico inicial (com duração de poucos minutos) o tornam adequado para muitas aplicações fora do ambiente hospitalar.

De acordo com os pesquisadores, a tecnologia pode facilmente diferenciar cérebro normal de uma situação de risco de vida, tal como inchaço (hematoma) e sangramento (hemorragia).

A capacidade única de monitoramento contínuo do dispositivo permite a detecção imediata de alterações na condição de um paciente.

A esperança dos pesquisadores é que a tecnologia possa ser adaptada e utilizada em outras áreas de cuidados agudos, tais como cirurgia de coração aberto (onde AVC é uma preocupação sempre presente), em indicações vasculares em outras partes do corpo e no acompanhamento da progressão da doença para monitorar a eficácia dos medicamentos.

Como funciona

"O sistema é muito simples, em princípio, e ainda proporciona dados extraordinariamente ricos", diz o pesquisador Kieran J. Murphy.

O dispositivo com base em tecnologia de submarinos significa que ele trabalha para medir as pulsações cerebrais complexas do paciente, fornecendo informações sobre o tipo e a localização de uma anormalidade da mesma maneira que um sonar de submarinos trabalha.

Ambos usam um conjunto de sensores para medir o movimento e gerar sinais que devem ser processados e analisados.

"Assim como os sonares detectam baleias e navios, o dispositivo também detecta alterações cerebrais, como aneurismas, má-formações arteriovenosas, acidente vascular cerebral isquêmico e lesão cerebral traumática das variações normais na fisiologia", observou Murphy.

O sistema mede o movimento do crânio (aceleração) para separar sinais acústicos confusos do movimento criado pelo fluxo de sangue conforme o sangue flui para o cérebro durante cada pulso e uma onda de pressão sai das veias em todas as direções. A onda se encontra com o crânio e o acelera. O dispositivo mede a aceleração e registra esta forma de onda complexa, com um tempo sincronizado digitalizador de alta resolução.

Os pesquisadores avaliaram a eficácia do dispositivo estudando 40 pacientes, 16 homens e 24 mulheres, com uma grande variedade de condições vasculares cerebrais, incluindo hemorragia intracerebral, hemorragia subaracnoide, aneurismas, malformações arteriovenosas, acidente vascular cerebral isquêmico e ataque isquêmico transitório.

Fonte: Isaude.net