Geral
02.02.2011

Estado do Pará intensifica ações para atendimento a pacientes renais crônicos

Ações definidas no Plano Estadual de Nefrologia serão implantadas pela Câmara Técnica para resolver carências de pacientes

Uma série de ações definidas no Plano Estadual de Nefrologia serão implantadas pela Câmara Técnica para resolver as carências no atendimento de pacientes com insuficiência renal crônica e que dependem do tratamento de hemodiálise. A garantia foi dada pelo secretário estadual de Saúde do Pará, Hélio Franco.

Segundo ele a câmara, criada em 2007, foi reativada recentemente e conta com a participação de representantes da Secretaria Estadual de Saúde, incluindo a Vigilância Sanitária Estadual, Sociedade Paraense de Nefrologia, Associação Paraense de Renais Crônicos e Transplantados e Colegiado de Secretários Municipais de Saúde (Cosems).

A rotina dos pacientes que dependem do tratamento de hemodiálise (filtragem e depuração do sangue feita mecanicamente) é exaustiva. Eles precisam fazer a filtragem do sangue pelo menos três vezes por semana, com duração de quatro horas cada sessão. "Os locais em que são instaladas as máquinas de hemodiálise precisam contar com uma retaguarda hospitalar, inclusive de UTI", reforça Hélio Franco.

O secretário de Saúde esclarece que a demanda reprimida no Pará hoje é de 273 pacientes. "Muitos deles têm que fazer a hemodiálise em hospitais e acabam ocupando leitos porque não conseguem vaga nos serviços comuns (unidades privadas e serviços públicos). No Pará, esse serviço está disponível em oito municípios, atendendo 1.522 pacientes por meio de 272 máquinas. Mas isso não é suficiente, por isso a necessidade de ampliar esse atendimento", informou. (Ver quadro com listagem de municípios e quantitativo de máquinas de hemodiálise e pacientes atendidos).

O Secretário de Saúde esclareceu que a Câmara Técnica de Nefrologia pretende intensificar as ações do Plano Estadual de Nefrologia, que apresenta três vertentes. "A Câmara tem um papel de discutir e implementar o Plano Estadual de Nefrologia, além de acompanhar essa implementação. Já temos um cronograma de reuniões programadas até junho deste ano e vamos trabalhar em três frentes. Na prevenção, por meio da execução do Programa Hiperdia (programa do governo federal, criado para cadastrar hipertensos e diabéticos nos municípios); da expansão dos serviços de atendimento e do incremento do transplante", revelou o titular da Sespa.

Hélio Franco informou ainda que na proposta de expansão dos serviços está prevista a inclusão de mais 187 máquinas de hemodiálise, o que possibilitará o atendimento de 1.122 pacientes. "Com isso vamos poder atender os pacientes da lista de espera, suprindo a necessidade do Estado, e ainda ter uma margem para os pacientes que virão a necessitar desse tipo de tratamento", completou Hélio Franco.

Fonte: Isaude.net