Ciência e Tecnologia
24.12.2010

Proteína da mosca ajuda a entender defeitos de nascimento em humanos

Metade dos genes conhecidos por causar doenças em seres humanos têm correspondência no código genético da mosca de fruta

Usando moscas de fruta como um modelo para estudar a formação de embriões em humanos, os cientistas do Cincinnati Children' s Hospital Medical Center, nos Estados Unidos, relataram que a quebra molecular de uma proteína chamada Bicoid é vital para a padronização cabeça-cauda normal da prole do inseto.

O estudo mostra como Bicoid é alvo de degradação molecular por uma proteína recentemente identificada chamada Fates-deslocada (DSF). Sem a interação entre Bicoid e FSD, embriões da mosca de fruta ficam deformados. Os resultados são mais um exemplo de como os estudos genéticos e moleculares do desenvolvimento embrionário em moscas de frutas ajudam a informar a pesquisa médica sobre doenças humanas e defeitos de nascimento. Mais da metade dos genes conhecidos por causar doenças em seres humanos têm uma correspondência reconhecível no código genético da mosca de fruta.

"Embora não haja nenhum impacto médico direto, este estudo tem relevância crítica para a investigação médica em defeitos de nascimento", disse o pesquisador sênior, Jun Ma. "Para os tecidos no embrião em desenvolvimento se formarem adequadamente, as células têm de saber quais são seus locais apropriados. Este estudo analisa as pistas de localização que as células recebem em embriões de Drosophila."

As pistas são entregues através de um processo que os cientistas ainda não compreendem completamente. É controlado por moléculas chamadas morphogens, que formam gradientes de concentração ao longo do eixo cabeça-cauda, ou outros eixos, de embriões em desenvolvimento. Os cientistas pensam que estes gradientes permitem às células saberem a sua localização quando elas avaliam se os sinais químicos que recebem estão acima ou abaixo de limiares específicos. O conhecimento das células de suas posições as leva a optar por diferentes caminhos de desenvolvimento e a formar distintos tipos de tecidos de embriões.

"Há realmente dois lados do problema morphogen,"explicou Ma. "O primeiro é como gradientes de concentração são formados em primeiro lugar, e o segundo é como as células respondem a tal gradiente. Nosso estudo analisa a primeira questão a um nível molecular."

Bicoid é uma proteína essencial para embriões da mosca de fruta na formação da cabeça e tórax. As novas descobertas sugerem que a desagregação molecular da proteína é importante para estabelecer um gradiente de concentração correto e a formação de tecidos adequados em seus locais corretos nos embriões.

Fonte: Isaude.net