Ciência e Tecnologia
02.11.2010

Abordagem aponta álcool como mais nocivo que o crack e a heroína

Novo sistema de escala revelou que a pontuação da substância foi a mais elevada no critério de danos causados à sociedade

Um novo sistema de escala que classifica as drogas com base no dano causado aos usuários e à sociedade revelou que o álcool é a droga mais prejudicial, acima da heroína e do crack. A nova tabela de medição foi desenvolvida por especialistas em drogas liderados pelo professor David Nutt, do Imperial College London, na Inglaterra.

Drogas, incluindo álcool e o tabaco, são uma das principais causas de danos aos indivíduos e à sociedade. Segundo os pesquisadores, essa nova escala funciona como uma orientação para os políticos no domínio da saúde, policiamento e assistência social avaliarem precisamente os danos causados pelas drogas.

Quando o professor Nutt e os colegas tentaram esta avaliação já em 2007, eles envolveram especialistas para pontuarem as drogas de acordo com nove critérios de danos, que vão desde os danos intrínsecos dos medicamentos a custos sociais e de saúde. Esta análise provocou grande interesse e debate público, apesar de levantar preocupações sobre a escolha dos nove critérios e a ausência de qualquer peso diferencial entre eles.

Para corrigir esses inconvenientes, os autores realizaram uma avaliação dos danos causados pelas drogas a partir da nova abordagem de análise multicriterial (MCDA). A nova ferramenta utiliza nove critérios que se relacionam com os danos que a droga produz ao indivíduo e outros sete para os danos causados à sociedade, tanto no Reino Unido e no exterior. Esses danos são agrupados em cinco subgrupos que representam danos físicos, psicológicos e sociais.

As drogas foram marcadas com pontos em 100, sendo 100 atribuídos à droga mais prejudicial em um critério específico, e zero indicando nenhum dano.

Em geral, o modelo MCDA mostrou que o álcool foi a droga mais nociva com pontuação total de 72, ficando acima da heroína (55) e do crack (54).

De acordo com os pesquisadores, a heroína, o crack e a metanfetamina cristal foram as drogas mais nocivas para o indivíduo, enquanto o álcool foi a mais prejudicial para os outros e para a sociedade.

"Como um novo sistema de classificação parece depende de qual conjunto de danos - a si ou aos outros - você está tentando reduzir, mas se você levar em conta o dano geral, então o álcool, a heroína e o crack são claramente mais nocivos do que todos os outros", avaliou Nutt.

De acordo com os autores, o processo MCDA fornece um meio poderoso para lidar com as complexas questões que o abuso de drogas e de bebidas alcoólicas representa.

Fonte: Isaude.net